Esse caos chamado "todo dia

Ler ouvindo Elastic Heart.



Amar é ótimo. Eu sei disso, você sabe também. O problema mesmo é conviver com o outro, conviver com o mundo. O problema de verdade é conciliar todos os problemas do dia-a-do com a pureza do amor. O verdadeiro desafio é conseguir voltar pra casa ileso todo fim de noite. Nem sempre a gente consegue deixar os problemas junto com os sapatos jogados, na porta de entrada. Nem sempre a falta de dinheiro é romântica e resolvida com planos engraçados de fugir pra praia e fazer dreads. Ser adulto é um porre. Trabalhar, estudar, lavar roupa, comprar papel higiênico, pagar conta de gás. Arrumar a porta emperrada. Reunião de condomínio, reunião de trabalho. Mas e ai? E o amor? Cadê o amor? O amor tem que achar uma brecha entre o banho apressado e a cama pro sono atrasado. O amor tem que marcar hora na agenda. As vezes, tem até que remarcar. Sei que sempre digo isso, mas amar é pros fortes. Eu tenho medo da rotina. E dessa vida caótica desenfreada que puxa a gente todinho pro mundo e faz agente esquecer de si mesmo. Faz a gente esquecer do outro. Eu tenho medo mesmo é de perder esse medo. Eu tenho medo de não enxergar que o amor foi embora por falta de atenção. E de cuidado. Eu tenho medo de me perder e não me achar de volta. Ficar perdida por aí num desses bares cheios de gente que também não sabem pra onde ir. Eu tenho medo de não enxergar a beleza de ter alguém pra dormir quietinho a noite do meu lado. Toda noite. Mesmo que o dia todo seja de correria e stress, a noite é de descanso abraçado. E conversas resumidas e cafés compartilhados com pressa. O amor é maior que isso. Eu sei. E eu gostaria de viver dedicada somente ao amor e as coisas bonitas da vida, mas acredito que tudo tem um porquê. É andando pela rua e convivendo com todo tipo de pessoa que percebo o quanto o amor é mesmo divino. E sagrado. E único. Cada dia mais me sinto sortuda. O caos enferruja todos os dias o amor da gente e nem todo mundo sabe que amor também precisa de manutenção. O amor precisa de cuidado. O amor está em extinção, minha gente. O amor é eterno demais pra essa geração que vive de novidades.

Eu prefiro ser antiquada. Eu prefiro voltar pra casa ilesa.











Comentários

  1. Amei seu texto , resume bem a vida de um adulto . Me identifiquei muito , amei mesmo.
    http://sweetsafira.blogspot.com.br/2015/02/again.html?m=1

    ResponderExcluir
  2. Texto MARAVILHOSO! Adoro ler sobre as opiniões dos outros sobre o amor, a concepção e a esperança é sempre diferente. Sou uma romântica assumida e estou sempre assumindo esse meu desejo e felicidade em relação ao amor. Uma romancista daquelas antigas com um coração cheio de esperança e vontades sabe?
    Amei seu texto,de verdade.

    Beijos, Jac
    http://behind-thewords.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Bah, ser adulto é bem complicado vc percebe que está realmente sozinho por si só, as contas não se pagam sozinhas, o amor está cada vez mais em extinção nos dias de hoje concordo plenamente com seu texto. Bjs e bom final de semana.

    http://vihpaula.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Thais, amei seu texto. Acho que as pessoas complicam demais quando a beleza está na simplicidade da vida. Também acredito que, nos dias atuais, as pessoas tem diversas opções que acabam querendo experimentar tudo e esquecem que uma pessoa que te faz sorrir e te faz bem é mais que o suficiente para viver plenamente o amor.
    Abraços Mika,
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir
  5. Oi Thays! Que blog lindo você tem! Adorei a sua escrita. Sério! É leve e ao mesmo tempo profunda! Isso é demais!

    Parabéns e muito sucesso com os textos!

    Beijinhos!

    Vanessa Vieira
    Pensamentos Valem Ouro

    ResponderExcluir

Postar um comentário